#6 – Querido Diário: Dando um tempo do Facebook.


Confesso que eu deveria ter feito este texto no word antes de passar para cá. Mas hoje, farei o contrário. Sabe quando o texto pede pra sair de qualquer maneira? Bem, é o caso desse...

Há uns seis meses ou até menos, se alguém me perguntasse se eu um dia iria desistir do Facebook, bom... Eu iria rir na cara da pessoa! Simples assim. Eu era realmente viciada em entrar na rede social, seja no celular, no computador, na minha casa, na casa dos outros. Enfim, sempre arrumava um jeito de poder acessar o site. Mesmo que não tivesse uma mísera atualização interessante. Por muitas vezes, eu apenas passava o olho pela linha do tempo, apenas para alimentar o meu vício. Acredito que saiba do que estou falando. Desde o finado orkut eu nunca saí das redes sociais. 

Ok que nunca cheguei a ter um perfil lotado. Por algum motivo me dava um rompante e eu simplesmente deletava e fazia um perfil novo. Adicionava as mesmas pessoas e zás! Virou um ciclo meio vicioso até o final do orkut, na verdade nem tanto no final, [momento drama queen on] mas quando ele dava seus últimos suspiros cansados [/momento drama queen off] e eu migrei para o Facebook. Como período de adaptação eu não entrava tanto, não tinha muitos conhecidos que estavam lá. Até o belo dia que o Orkut finalmente foi desativado e começou o meu vício no Facebook.

No início foi aquele frenesi, adicionar pessoas conhecidas ou não, queria saber como o próprio site funcionava. Até que isso começou a virar recorrente demais. Como disse no parágrafo mais acima, quando pude adquirir um celular com uma versão compatível para poder acompanhar o feed de notícias, o vício começou. Mesmo se tivesse algo interessante ou não, eu estava lá vendo o que estava acontecendo. Só que depois de uns longos dois anos - um pouco mais - nessa rotina direto, isso me cansou. E há várias razões para isso ter acontecido. Citarei a principal!

Problemas. O facebook virou um ambiente extremamente tóxico para mim. Para todo o lado, eram discussões - não, não participava da maioria - que no final só traziam mais dissabores. E isso começou a virar um ciclo vicioso. Todo santo dia havia um comentário, uma publicação que começou a me fazer mal. E cheguei ao ponto de sair daquele mundo. Me deixa muito triste ver até que ponto as coisas estão chegando nas redes sociais. O que mais vejo é ódio gratuito, principalmente direcionado a grupos que não tinham muita voz (eu pertenço a duas: mulher e negra). Além que isso não acrescentava muita coisa na minha vida. E geralmente rola de desapegar né? Energia parada ou concentrada em algo que só nos deixa pra baixo, não é legal.

Claro que não irei ignorar que para um monte de pessoas o Facebook ainda é uma rede que funciona, que ainda há uma ponta de esperança em meio a tanta toxicidade. Mas sinceramente? Foi a melhor coisa que fiz. Confesso que fiz um segundo perfil, mais direcionado para o blog do que qualquer outra coisa. Devo reconhecer que o site ainda é uma ferramenta poderosíssima para divulgar o blog, mesmo que não seja o meu objetivo principal. Mas aquela paixão ardente terminou. E não, não me arrependo de ter desativado rs. Enfim, é isso. Um desabafo que precisava sair.

Beijo, até mais.


5 comentários:

  1. Hoje, tenho Facebook, mas já passei 2 períodos de mais ou menos uns 8 meses sem. E foi ÓTIMO. Entendo o que você diz quando menciona o ambiente tóxico. Hoje, só entro em grupos essenciais e que acrescentarão alguma coisa. Mas, para mim, outro ponto MUITO legal, é sair daquele modo automático em que não paramos de atualizar a timeline, até porque ela é infinita. Quando estamos na rede, fica muito fácil perder o controle e perder horas sem a menor necessidade. Parabéns, Tamyris, por ter tomado essa decisão com vontade e não abrir mão apenas por conta da pressão social que tenho certeza que aparece de vez em quando ;) A melhor coisa é ser livre para fazer parte apenas daquilo que te faz bem e ENQUANTO faz bem!

    Love&Kisses
    Loucura Alternativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aline pela força. O mais estranho é que até agora não sinto falta do Facebook em si e etc. Mas quem sabe um dia eu volto rs. Beijo.

      Excluir
  2. Oi, Thamyris! Percebi sua ausência no face, mas etendo muito bem sua colocação.
    Algumas vezes realmente tomamos muito tempo de nossas vidas em redes sociais e, será que isso é bom? Nem sempre.
    Se for pra tirar tudo de ruim de dentro de você e aproveitar mais a vida: vai fundo, gata! Espero que você veja a vida com os outros olhos nesse momento e também veja que nem tudo está dentro do facebook. Te aconselhando assim nem parece que também sou um pouco viciada, não é? hehehe
    Um grande beijo!!
    nomerusso.blogspot.com
    (ainda estou ajeitando o blog)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Raiza, engraçado que poucos dias depois voltei ao Facebook. Ok que por um motivo especial, mas agora to mais moderada. Existe realmente vida fora do Facebook hahaha. Novamente obrigada! Beijo.

      Excluir
  3. Eu também já perdi muito tempo olhando o feed com nada de interessante, hoje em dia é bem mais raro eu fazer isso (talvez por eu trabalhar a maior parte do tempo, haha) mas é muito bom passar um tempo longe de lá. Eu uso muito o Facebook para me comunicar com as pessoas e postar na minha página, mas aquele vício de ficar olhando sempre sem ter motivo, eu não tenho mais, hehe

    blogmylittlecandy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© Admirável Inconstância - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Thamyris Aquino. Tecnologia do Blogger. imagem-logo